Aula de sueco: SFI – Swedish for immigrants

em

O SFI, curso de sueco para imigrantes, foi criado em meados dos anos 60 com a intenção de facilitar a integração dos imigrantes na sociedade sueca. O curso, além de ensinar o básico da língua, também fala sobre a cultura e hábitos do país. Funciona como uma integração mesmo!

Os cursos do SFI são totalmente gratuitos e existem em todas as regiões do país. As escolas podem ser públicas ou privadas, neste caso os cursos são subsidiados pelo governo. Eu estou estudando em uma escola privada, mas quem paga o curso é o Estado e eu não tenho gasto nenhum, nem com material didático.

Foto: Bia Oliver

Níveis do SFI

Os cursos SFI são ministrados em vários níveis. O nível em que você deve ingressar é determinado por um professor do Vuxenutbildningscentrum (Centro de Educação de Adultos) e depende muito da sua formação educacional e do que você pretende conquistar aqui na Suécia.

  • Nível 1 – Curso A, B, C e D 
  • Nível 2 – Curso B, C e D 
  • Nível 3 – Curso C e D

O curso 1 é voltado para pessoas com baixo nível educacional, ou seja, pessoas analfabetas ou que tenham cursado apenas o nível básico. É o curso para pessoas que não tiveram acesso à educação em seu país de origem.

O curso 2 é voltado para pessoas que concluíram apenas o ensino fundamental ou o ensino médio, e o curso 3 é para pessoas com nível universitário.

A duração do curso varia dependendo da formação educacional, conhecimento prévio e opção de estudo planejado. Isso é decidido na entrevista com um professor do Vuxenutbildningscentrum.

Na minha entrevista eu contei que fiz jornalismo no Brasil, que a minha faculdade durou quatro anos e que eu pretendo trabalhar na Suécia, a príncipio não necessariamente na minha área, mas que pretendo migrar para a área de comunicação em dois ou três anos. Assim, o meu programa de estudo deve ir até dezembro de 2021. Sim, tenho que cursar o sueco 3C e 3D até dezembro de 2021.

O que você aprende no SFI?

O SFI fornece ferramentas linguísticas para comunicação e participação ativa na vida cotidiana, social e profissional, além de estudos adicionais. O curso também oferece aos imigrantes adultos que não possuem habilidades básicas de leitura e escrita a oportunidade de adquirir essas habilidades. Um aluno que não seja funcionalmente alfabetizado ou que possua um sistema de escrita diferente do alfabeto latino também recebe aulas básicas de leitura e escrita.

A educação é voltada para pessoas que têm experiências, situação de vida, conhecimento e objetivos de estudo diferentes.

Foto: Bia Oliver

No SFI o aluno desenvolve:

  • a sua capacidade de ler e escrever em sueco,
  • capacidade de falar, ouvir e entender sueco em diferentes contextos,
  • capacidade de adaptar a língua a diferentes destinatários e situações,
  • uma boa pronúncia,
  • estratégias de aprendizagem e comunicação para o desenvolvimento contínuo da linguagem,
  • capacidade de usar tecnologia digital e ferramentas relevantes de aprendizagem e comunicação, e
  • sua capacidade de se relacionar com informações de várias fontes.

O SFI tem o objetivo de desenvolver a habilidade comunicativa, assim, o imigrante se torna capaz de se comunicar oralmente e por escrito, de acordo com as suas necessidades. Além disso, o curso oferece a oportunidade de desenvolver a competência intercultural, por meio da reflexão sobre suas próprias experiências culturais fazendo a comparação com os acontecimentos da vida cotidiana, social, de estudo e de trabalho na Suécia.

Quem pode cursar o SFI?

  • Pessoas registradas em alguma cidade da Suécia. Eu estudo em Estocolmo porque moro em Estocolmo.
  • É preciso ter uma autorização de residência.
  • Ter pelo menos 16 anos de idade. 
  • Deve ter o número de registro nacional (personnummer).
  • Cidadãos da União Europeia e Suíça precisam ter direito de residência para trabalho ou estudo.

A minha primeira impressão do SFI

No dia 25 de fevereiro eu fui até o Vuxenutbildningscentrum para me inscrever no curso de sueco. Eu já tinha planejado tudo na minha mente, iria escolher a ABF (todo mundo diz que é a melhor escola de Estocolmo) e que estudaria no período da tarde, já que faço inglês de manhã.

Quando chegou a minha vez de ser atendida no guichê o meu personnummer bugou o sistema, porque eu já tinha feito uma pré-inscrição online em dezembro e não tinha ido lá pessoalmente na semana que era para ter ido. Os suecos, como são extremamente educados, me pediram desculpas pelo ocorrido e afirmaram que eu não seria prejudicada. Sim, outros três funcionários foram socorrer o meu atendende que não sabia o que fazer.

Depois que conseguiram finalmente colocar os meus dados no sistema eu fui encaminhada para uma sala de espera, uma professora iria me entrevistar para ver o meu nível de sueco. Eu ri e disse que seria o nível zero, mas eles explicaram que era o procedimento.

A entrevista durou uns vinte minutos. Ela me perguntou o motivo da mudança para a Suécia, quando eu me mudei para cá, o que eu fazia no Brasil, se eu tinha cursado alguma faculdade e qual era o curso, o que eu fazia na Suécia atualmente e onde eu morava. Ah, todo o meu atendimento foi em inglês.

Como eu moro na região central de Estocolmo poderia escolher qualquer escola do centro, e claro, optei pela ABF. A professora então me informou que na ABF só tinha curso no período da manhã e como eu não queria abrir mão do inglês acabei desistindo da ABF. Foi então que ela me indicou a Hermods, uma escola que eu nunca tinha ouvido falar, mas acabei aceitando.

Quando cheguei na Hermods me surpreendi com a estrutura do lugar. Tudo parecia extremamente organizado e limpo. As salas todas de vidro (tipo aquário), copa com talheres, pratos e diversos microondas para os alunos que levam marmitas, tudo impecável.

No primeiro dia, eu e os novos alunos (toda segunda-feira ingressam novos alunos no SFI), tivemos uma reunião com a coordenadora. Ela nos apresentou o método de ensino, o ambiente virtual, os livros que são utilizados e também fez o treinamento de incêndio. Sim, ela nos mostrou o que fazer em caso de emergência. Descemos sete andares pelas escadas de emergência, quando chegamos na rua ela nos mostrou as possíveis rotas de fuga para o transporte público. Achei fantástico! Ah, tudo isso foi em inglês.

Foto: Bia Oliver

A aula de sueco

Como eu entrei em uma turma já bastante avançada, como eu disse toda segunda entra aluno na turma e pega o bonde andando, já comecei com a conjugação de verbos e conheci alguns verbos regulares e irregulares, inclusive já aprendi o “perfekt”, que seria o “present perfect”do inglês.

O professor faz um mix de sueco e inglês durante a aula, ele tenta falar o máximo possível em sueco para treinar o ouvido dos alunos, mas quando ele percebe que todos estão viajando ele automaticamente muda a explicação para o inglês.

Eu confesso que estava bastante preocupada em aprender dois idiomas ao mesmo tempo, achei que minha cabeça bugaria, mas por enquanto eu estou achando essa experiência bem divertida. Primeiro, eu estou praticando o meu inglês em tempo integral de segunda à sexta, afinal todas as minhas dúvidas são tiradas em inglês e eu acabo conversando com os meus colegas somente em inglês, isso é ótimo. Segundo, o sueco parece ser uma língua bastante esquisita, mas no fundo a base gramatical é bem parecida com as regras do inglês, então acaba tornando o aprendizado ainda mais fácil. A pronúncia continua sendo esquisita aos meus ouvidos, mas acredito que com o passar dos dias, tudo vai se tornar mais natural.

Espero que tenham gostado do post 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s