Vasamuseet – Museu do Vasa

O Vasamuseet é o museu temático onde é exibido o Vasa, o famoso navio de guerra do século XVII. O navio foi encontrado na década de 50 e foi recuperado com o casco praticamente intacto em abril de 1961. Ficou exposto em um museu provisório até 1987, quando foi transferido para o Museu do Vasa em Estocolmo. Hoje, o Vasa é o navio do século XVII mais bem preservado do mundo, com 98 por cento da estrutura original preservada e centenas de esculturas talhadas.

Foto: Bia Oliver

O museu possui diversas exposições relacionadas ao navio e que narram a sua breve história. É possível fazer visitas guiadas pelo museu, em inglês, várias vezes por dia. Também há guias em áudio em diversos idiomas. O filme sobre o Vasa e o filme infantil “The Vasa Piglet” são exibidos diariamente em várias línguas. Tudo está incluído no preço de acesso ao museu.

Foto: Bia Oliver

Para quem gosta de colecionar souvenirs ou comprar um presentinho tem uma loja diversos produtos . O museu também têm um restaurante de pratos rápidos e uma pastelaria (isso de acordo com o site, eu não reparei na pastelaria não).

De qualquer forma, o Museu do Vasa é parada obrigatória para quem está visitando Estocolmo e quer conhecer parte da história da Suécia.

A história do Vasa

Por que o navio foi construído?

O navio foi construído por ordem de Gustavo Adolfo II, rei da Suécia. Na sua construção trabalharam cerca de 400 pessoas, mulheres e homens. Era um navio poderoso, que possuía três mastros com mais de 50 metros de altura e podia suportar dezenas de velas, media 69 metros da proa à popa e pesava 1200 toneladas. O navio era equipado com 64 peças de artilharia de diversos calibres, tinha uma decoração com esculturas entalhadas em madeira de dar inveja aos outros navios da época.

Foto: Bia Oliver

O naufrágio

No dia 10 de agosto de 1628, poucos minutos após ter partido para a sua viagem inaugural, completamente carregado, uma rajada de vento fez o navio inclinar para esquerda, deixando entrar água pelas portas de arma inferiores, causando o seu naufrágio ainda no porto, um acidente que envergonhou o país. Havia aproximadamente 150 pessoas a bordo e pelo menos 30 morreram.

Foto: Bia Oliver

Por que o Vasa naufragou?

Há duas versões e como eu não sou perita, vou contar as duas histórias aqui. A primeira delas (segundo o site oficial do Museu) no século XVII, ainda não eram conhecidas formas de calcular teoricamente a estabilidade dos navios. Então, eles eram construídos com base na experiência acumulada. Para introduzir novidades técnicas, que no caso do Vasa se tratava de construir uma superestrutura superior com dois convés fechados para canhões, era necessário avançar por tentativa e erro. Vasa ficou com peso a mais acima da linha de água e não conseguiu endireitar-se para recuperar o equilíbrio, ao inclinar-se com o vento.

A outra versão diz que o Vasa tinha alguns problemas de estrutura, mas como Rei estava impaciente para que o navio partisse para encontrar o restante da frota no Báltico, na guerra dos trinta anos, os construtores do navio tinham conhecimento e não tiveram coragem de discutir as falhas do projeto, muito menos adiar sua partida.

Quem encontrou o Vasa?

Anders Franzén, técnico marítimo sueco, tinha um enorme fascínio pelos destroços dos navios naufragados no arquipélago de Estocolmo. Com base em informações de documentos do século XVII, ele iniciou as buscas do Vasa nos verões de 1954-1956 utilizando redes de arrasto, rebocadas no leito marinho por um barco a motor. Em 25 de agosto de 1956, quando ele e o mergulhador Per Edvin Fälting efetuavam buscas ao largo de Beckholmen, a rede de arrasto ficou presa num objeto em madeira de carvalho de grande dimensão. Foi assim que ele encontrou o navio.

O maior quebra-cabeça do mundo?

A recuperação do navio começou no outono de 1957 com o trabalho de mergulhadores, mas só em 24 de abril de 1961 o Vasa foi retirado totalmente do fundo do oceano. O navio foi recuperado com mais de 14 mil unidades de madeiras soltas. Os materiais encontrados soltos passaram por processo de preservação e só então foram recolocados em seus lugares de origem no navio. Foi um verdadeiro jogo de quebra-cabeças!

Foto: Instagram @vasamuseet

Informações

Local: Galärvarvsvägen 14
Horário de funcionamento: 10h às 17h (mas é bom conferir no site do Museu porque o horário pode variar em alguns dias específicos).

O museu funciona nos 365 dias do ano.

Preços de entrada

Adultos – 150 SEK
Crianças e jovens (0-18 anos) – 0 SEK

Gostou de conhecer essa história? Comenta aqui embaixo =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s