Por que viemos para Estocolmo?

Antes de dizer os motivos que nos fizeram mudar para a Suécia é importante contar como era a nossa vida no Brasil.

Nós morávamos em São Paulo, em um bairro bem mediano. O Vinícius trabalhava em uma empresa gigantesca e que pagava bem. Eu trabalhava em uma produtora de conteúdo e não ganhava tão bem assim.

A Violetinha frequentava uma creche particular de valor mediano e era muito bem cuidada. Eu gostava bastante da escola enquanto berçário, tinha consciência que nos anos seguintes teria que procurar uma nova escola que estivesse de acordo com nossos valores.

Em São Paulo, a Violetinha tinha acesso a museus, parques, centros culturais. Não íamos com a frequência que gostaríamos porque o trânsito e o transporte público não facilitavam.

Nós queríamos que a Violetinha crescesse em um ambiente igualitário para meninos e meninas, que se preocupasse com o meio ambiente, que acreditasse na verdade de todas as religiões e as respeitasse.

Estávamos conseguindo manter nossos valores, mesmo com a incompreensão da sociedade, e muitas vezes da família. Tudo estava ótimo, afinal nada é perfeito.

Até que a situação do Brasil começou a ficar preocupante. Pessoas, que diziam ser de bem, estavam relativizando a tortura da época da ditadura. Religiões de matriz africana começaram a ser perseguidas descaradamente. Nada mais fazia sentido. Tudo se concretizou nas últimas eleições.

Discursos de que a minoria deveria se curvar à maioria, de que meninas vestem rosa e meninos azul, de que a comunidade LGBTQI+ não deveria existir.

Não queríamos que a Violeta crescesse acreditando neste tipo de discurso, não estávamos mais nos sentindo em casa.

O Vinícius sempre recebia propostas de emprego de países da Europa, mas nunca tinha levado à sério, pelo menos até aquele momento.

Em janeiro de 2019 ele começou a responder as propostas. A primeira entrevista que conseguiu foi de uma empresa sueca, nem tinha passado pela nossa cabeça a Suécia.

Conforme ele ia passando nas fases e íamos pesquisando sobre o país eu sentia que estávamos indo para o lugar certo no mundo. Um país que busca a igualdade de gênero, que é verdadeiramente laico, que as crianças são levadas à sério.

Em fevereiro já sabíamos que teríamos que mudar em abril. Claro, foi uma correria para entregar apartamento, vender os móveis e o carro, arrumar uma nova família para a nossa gata Ursulina, mas no final deu tudo certo. No dia 19 de abril de 2019 pisamos em solo sueco e aqui estamos.

Instagram @vida_na_suecia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s